Pirata Grauth

 

Ilha de Creta Século XV.

Ao norte de Creta, existia um povoado na região, onde hoje é conhecido como Irakleio, um grupo de pescadores vivia ali. Durante o dia os homens deixavam suas mulheres e filhos e saiam para a pesca voltando apenas à noite.

Em um dia chuvoso, onde raios caíam no mar, o chefe dos pescadores rezou para que o Deus do mar poupasse suas vidas. Ao escutar suas súplicas, Posseidon fez um acordo, dormiria com a humana mais bela do povoado em troca da salvação de suas vidas. Os pescadores concordaram, pois sabiam que se morressem ali, seu povo jamais sobreviveria.

A tempestade se foi, voltaram para casa com o alimento e fizeram uma festa em nome de seu Deus. Ao fim deixaram o povoado para que Posseidon escolhe-se sua mulher naquela noite, assim o fez, escolhendo a mais bela de todas.

Nove Meses se passaram e Eni teve uma criança, um menino, dotado de inúmeros talentos. Seu primeiro feito aconteceu quando um grupo de crianças brincava no mar e um tubarão às atacou, ao perceber o ataque pegou uma faca que estava próxima a ele e correu até elas, agarrou-o com força e golpeou-o inúmeras vezes até a água ficar tingida de vermelho. Impressionadas, as crianças saíram imediatamente de dentro do mar. Minutos depois, o pequeno semideus de 09 anos de idade saiu da água arrastando o tubarão morto para praia. Glauco cresceu tornando-se famoso por seus feitos.

O domínio turco estava acontecendo e não havia mais espaço para pequenos grupos de pescadores que não sabiam fazer nada além da pesca. Os turcos invadiram as moradias dos pescadores numa noite matando mulheres e crianças, Glauco lutou bravamente e a única pessoa que conseguiu proteger foi sua mãe, os poucos sobreviventes foram escravizados e vendidos no comércio europeu.

Glauco nunca tinha rezado para seu pai, pois não acreditava mais nos deuses, mas nesta noite assustadora, pediu a ele que descesse e buscasse sua mãe, possibilitando-o assim de ir atrás dos turcos que fizeram de seu povo escravos. Posseidon saiu do mar, atendeu as preces de seu filho e deu-lhe um presente, uma espada que se transformava em qualquer coisa que ele imaginasse.

Agradeceu a seu pai e deixou Creta, passou pela Europa, até chegar à França. Juntou pessoas que compartilhavam sua causa, vivendo aventuras, libertando não apenas seus amigos, mas todas as pessoas que sofriam com a escravidão, saqueavam os navios turcos, ingleses, franceses, portugueses e espanhóis, qualquer um que maltratasse um ser humano indefeso tornava-se seu inimigo. Isto o deixou conhecido nos mares como Pirata Grauth ou Glauco.

Foi um dos primeiros Piratas clássicos a aparecer nos mares. Poucos sabem que ele é um semideus, muitos desconfiam da sua origem. A verdade é que ele é um herói no mar e na terra, sua tripulação é feita de várias nacionalidades, de pessoas que tem o mesmo propósito.

Porém todo herói tem seu arquiinimigo, com Grauth não seria diferente. Don Ramon, um Capitão da corte Espanhola, conhecido por ser um homem indestrutível, tinha um segredo, também era um feiticeiro que possuía poderes concebidos por Hades, Ramon podia controlar o tempo e o espaço, e também podia invocar seres de outras dimensões para ajudá-lo.

Alguns países se juntaram e formaram uma aliança para derrotar Grauth, desta forma sustentaram economicamente as investidas de Ramon. A última Batalha foi próxima do Caribe no Haiti.

Estava Grauth contra Ramon na praia após inúmeras batalhas no mar e na terra, é algo incomum para piratas lutarem corpo a corpo em terra, porém, ali não havia nenhum pirata ou seres humanos comuns. A batalha durou muito tempo, Ramon invocou inúmeros monstros e bestas para matar Grauth, mas ele as derrotou com a sua Espada mágica “Espelho D’água”. Ramon tentou fugir, mas o desejo de Grauth transformou a sua espada em lança, perfurando o peito de seu inimigo antes que ele pudesse fugir, entretanto, mesmo ferido, ele tinha uma carta na manga, um artefato chamado ”Olho de Leviatã”, o qual ele usou, criando uma rachadura no tempo mandando Grauth para outra dimensão.

A espada de Grauth tornou-se uma cápsula, protegendo seu corpo durante a viagem. Quando a viagem terminou, “Espelho D’água” voltou à sua forma original, sua viagem durou poucas horas, mas no mundo passou mais de 500 anos. Ele encontrava-se em uma praia deserta, e ao descer do crepúsculo, viu a noite chegar, caminhou para dentro do que ele desconhecia e viu uma selva de pedra e luzes, no lugar de árvores e montanhas havia prédios e carros passavam por ele. Desorientado acabou entrando em um bar e viu um grupo seleto de pessoas tocando, logo curtiu a musica deles, foi bem recebido e permaneceu ali fazendo amizades e entendendo o novo mundo. 

 Leave a Reply

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

(obrigatório)

(obrigatório)